Encontrão Hacker 2015

Com a proposta de construir um mapa de ferramentas culturais que contribuam no avanço da gestão cultural, aconteceu a o 3º Encontrão Hacker: Ferramentas de Participação e Gestão para a Cultura, nos dia 15 e 16 de maio em Fortaleza, Ceará. Durante a programação também aconteceu o lançamento do Mapa Cultural do Ceará.

A Casa da Cultura Digital de Porto Alegre participou do evento apresentando o Observatorio.cc e integrando os grupos de trabalhos montados para discussão das políticas de gestão cultural, formados durante o Encontrão: Arranjos Produtivos e Políticas Culturais. O FotoLivre foi o responsável pela documentação fotográfica do Observatório, e assim representou a CCD no Encontrão.

A Relatoria (apresentações, fotos, audios…) está toda registrada aqui | Link do evento no facebook | Fotos: Sheila Uberti (1, 3, 5, 7, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 17, 19, 20 e 25) e Instituto Mutirão (2, 4, 6, 8, 9, 16, 18, 21, 22, 23, e 24).

Encontrao_Hacker_2015-1 Encontrao_Hacker_2015-2 Encontrao_Hacker_2015-3A manhã do primeiro dia ficou reservada para a apresentação da programação e de uma sugestão de metodologia para guiar o trabalho dos GTs. Em seguida acoteceram as apresentações individuais, e por fim apresentação detalhada de alguns dos projetos ali representados.

Primeira atividade: apresentação de projetos e combinações sobre o trabalho nos GTs.

Encontrao_Hacker_2015-4 Encontrao_Hacker_2015-5 Apresentação do Observatorio.cc 🙂Encontrao_Hacker_2015-6

Na atividade da tarde a CCD integrou o GT Arranjos Produtivos, sob a mediação de Vinicius Russo (relatado aqui), movido pelo questionamento sobre a a importância de mudar a lógica atual de competição de mercado para um lógica de colaboração, através da criação de arranjos produtivos solidários – em vez de sempre revolucionar, por quê não tentar rearranjar e otimizar? Um tópico bem interessante, por exemplo, foi colocado pelo Diretor de TI do MinC, Diego Aguilera, relatando que poucas empresas chegam ao MinC com uma boa proposta de Software Livre, com reais chances de competição com softwares proprietários – então mesmo com políticas de incentivo e preferência ao SL, ainda se direciona muito da verba para suprimentos e softwares para empresas com produtos fechados. Resumo da ópera: o Livre precisa buscar qualificação e profissionalização se quiser ter seu valor reconhecido perante a concorrência no mercado.

Encontrao_Hacker_2015-7 Encontrao_Hacker_2015-8GT Mapas Culturais, acontecendo simultaneamente na sala ao lado.

Encontrao_Hacker_2015-9Visita à Casa da Cultura Digital de Fortaleza, projeto da Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia.

Encontrao_Hacker_2015-10 Encontrao_Hacker_2015-11 Encontrao_Hacker_2015-12Sala Hacker, espaço ocupado pelo grupo ForHacker.

Encontrao_Hacker_2015-13 Encontrao_Hacker_2015-14 Encontrao_Hacker_2015-15O segundo dia já iniciou com a formação dos GTs – participamos do GT Políticas Digitais, com mediação de Leo Germani. A conversa foi desenrolando sobre a pergunta: o que é o espaço público na internet? Público é diferente de aberto ao público mas de regras dirigidas pelo proprietário.

Encontrao_Hacker_2015-16 Encontrao_Hacker_2015-17Ao mesmo tempo aconteceu o GT Sistemas e Protocolos, focado na articulação de projetos como o Login Único.

Encontrao_Hacker_2015-18A reta final teve apresentações dos tópicos discutidos e encaminhamentos dos GTs.

Encontrao_Hacker_2015-19 Encontrao_Hacker_2015-20 Encontrao_Hacker_2015-21Papo final com Uirá Porã (Instituto Mutirão), Ricardo Poppi (Secretaria Geral da Presidência da República), Guilherme Varella (Secretário de Políticas Culturais do MinC), Fabiano Piuba (Secretarial Estadual de Cultura do Ceará) e Claudio Prado (Fora do Eixo).

Encontrao_Hacker_2015-22[Quase todos] participantes e equipe organizadora do Encontrão.

Encontrao_Hacker_2015-23Evento de Lançamento do Mapa Cultural do Ceará, no Estoril (Bar do Papai), na praia de Iracema.

Encontrao_Hacker_2015-24 Encontrao_Hacker_2015-25