E.CO – Encontro de Coletivos Fotográficos Ibero-Americanos

Como a fotografia, combinada com as inúmeras e crescentes possibilidades de atuação dos meios digitais (e analógicos resgatados também, em muitas ocasiões), pode ser criativamente explorada na mídia ativista, nas causas sociais, artísticas e culturais ao redor do mundo?

eco2

Pergunta de ouro com respostas remixadas a cada ação apresentada durante o E.CO – Encontro de Coletivos de Fotografia que aconteceu entre os dias26 de agosto e 4 de setembro [integrando também o circuito de atividades do festival Mirada], em Santos, litoral de São Paulo. Ainda em fase embrionária quanto a seu formato, o FotoLivre participou do encontro.

Dos coletivos e ações apresentadas que mais nos despertaram a atenção:
O Enmedio (Espanha) é um dos que de forma mais criativa sabe usar a mídia, principalmente os veículos de massa, em seu favor. Criam ações de estratégias bem inteligentes, com temáticas de economia, imigração, mobilidade urbana, política, que também viralizam diretamente entre as audiências. Em resumo, um midiativismo bem interessante, referência boa de guardar e acompanhar.
O pessoal do Iconoclasistas ( Argentina) usa muito de mapeamentos para engajar a comunidade em ações que busquem reflexão e alguma ação de melhoria nos espaços levantados. Eles têm um guia colaborativo de como fazer isso – e como um dos valores de trabalho é o da Cultura Livre (<3), ele tá aqui lindão em pdf
Uma característica comum a todos coletivos é que estão sempre atualizando suas estratégias, remixando e reinventando formatos, temas e recortes de atuação, nem que seja para trabalhar com questões de resgate histórico ou em intervenções analógicas. Cada um se organiza de uma forma – a maioria faz encontros presenciais semanais e se permite experimentar muito.
Quem produziu o conteúdo da cobertura foi o Oitenta Mundos. O relato completo feito por eles está aqui.
Ademais, vimos muito mac, muito photoshop ligthroom, windows e proprietários malvados hahahaha :p
Fotos: Sheila Uberti